The normality of things – and how I am slowly managing to deal with routine

The effortlessly chic party look

Wrapping fun! Christmas gifts bonanza in family

Get the look: cool up your party kimono for everyday outfit

Party season in a budget: 3 looks to inspire

This is how to style a sequin kimono for a hot party look

O seu medo te impede de quê? Onde te leva a sua paixão?

O seu medo te impede de quê? Onde te leva a sua paixão?

Gosto de filmes densos, que emocionam e fazem pensar. Adoro sair de um filme chorando, impactada, com a cabeça borbulhando. 

Algumas reflexões, sejam baseadas em diálogos de filmes ou em associações deles com minha vida, estão me fazendo balancear certos acontecimentos. E assim cheguei a algumas perguntas, principalmente sobre medos e paixões. Onde vamos com eles e porque simplesmente ficamos?

O meu medo me impede de arriscar, de impor minhas idéias e de quebrar a minha cara de vez em quando. Obedecer ao medo pode até parecer prudente, mas a vida é feita de cacos emendados, colados, que constroem nossos caminhos e dão base pra gente enfrentar o mundo. A psicologia (ouvi isso numa sessão de terapia) diz que o medo faz com que você desenvolva o senso de proteção. Não discordo e ainda afirmo: opa, isso é bom! 

O problema é quando o medo te estagna, te deixa imóvel para situações em que tudo que era preciso era um único passo. E quando você se dá conta de que simplesmente não fez aquilo por medo, ahhh, a hora já passou e o mundo já rodou.

Acabei de assistir o filme “El mismo amor, la misma lluvia” em que o personagem deixou a vida, o amor e o seu talento passarem por ele, por um medo de sair da zona de conforto. E, como os personagens do Juan José Campanella (autor e diretor) são sempre muito reais, latinos e “gente como a gente” eu fiquei me perguntando pra onde eu vou com os meus medos? Será que dou mais crédito do que eles de fato merecem? E, peraí, eles são reais?

Um outro filme dele, o mais recente, que ganhou o oscar de melhor filme estrangeiro –“El secreto de sus ojos” me fez avaliar pra onde minhas paixões me levam. Claro, antes de poder avaliar qualquer coisa, eu tive que dar conta de levantar da poltrona, de tão paralizada, emocionada, acabada e maravilhada que eu fiquei. Quem mais consegue ir a fundo nos sentimentos da gente além do Campanella?

Cheguei a breve conclusão de que meus medos e minhas paixões me movimentam sim, mas eu não sei onde me levam. Com certeza com essas emoções eu me transporto pra dentro de mim e saio dali com o coração com muita vontade de arriscar novos amores, novos lugares e sentimentos inéditos. Mas… será que eu realmente pratico isso? E você? Já pensou com carinho nos seus medos? Suas paixões são suas aliadas?

Aliás, recomendo os filmes dele… 

Deixe um comentário

Enviar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Pin It on Pinterest