Bring the (curvy) party!

The Fall Curvy Guide for you to easily rock this season’s colour palette

Beauty Boot Camp: The latest trends in beauty and the most massive goodiebag!

Back to work! 1 jeans – 2 fun looks to get over the end-of-summer blues

Norwegian summers are the best! Here is how we spend it.

Got curves? Here is the swimwear you will wear this summer

Antes de meia noite!

Quem já viu os dois primeiros filmes da trilogia – “Antes do Amanhecer” (1995) e “Antes do Pôr do Sol” (2004) com certeza vai querer ver “Antes de Meia Noite” o último filme da série.

Eu acabei de voltar do cinema com a maquiagem borrada. Um dos meus hobbies é me emocionar no cinema e esse filme me fez pensar, como os anteriores, e como um filme bom faz eu me sentir.

É uma comédia romântica sim – embora eu não curta o termo – mas bem diferente das tradicionais. É uma história romântica, por ser um filme de amor, mas não trata do amor romântico, daqueles da Disney. O filme mostra o amor como ele é de verdade. Cheeeio de conflitos, encontros e desencontros (um outro excelente filme de amor não utópico).

Eu fico muito feliz em ver no cinema situações com as quais me identifico. E esse filme ajudou. Um relacionamento com duas pessoas diferentes traz conflitos de toda a sorte e traz também novas experiências de toda a sorte. Tudo crescimento emocional pra gente.

O amor real é feito de pequenas felicidades. É feito de amizade e intimidade, que às vezes nem está na cama. Um amor ideal é longe do amor romântico ao qual somos expostos pela mídia desde crianças. As conversas, as comunicações com o olhar, as palavras que vcs criaram, as histórias que só vcs têm vale tanto tanto mais do que qualquer outro aspecto considerado ideal num amor romântico.

Seu amor pode não ser o príncipe encantado. Geralmente não é. E se você ficar esperando por isso, comparando a realidade com a sua expectativa e julgando tudo, o amor não vem pra você.

Eu aprendi isso na marra e hoje em dia valorizo as pequenas coisas. Os acontecimentos do dia a dia, as piadas internas e o reconhecimento da importância do outro na minha vida valem, hoje em dia, muito mais do que qualquer história de amor que eu tenha como modelo mental. A vida é aqui e agora, a vida é o que tá acontecendo enquanto você está lendo esse post!

Vá ver o filme, tá? 🙂

A vida do meu Gainsbourg. Esse post é quase um manifesto cobrando a estréia do filme no Brasil. Pra quem não conhece, o Gainsbourg é um cantor francês muito famoso nas décadas de 70 e 80, com uma vida controversa e uma música vanguardista. Namorou as mais lindas da cena do cinema, como a Brisgite Bardot, Jane Birkin, a Deneuve. Na época era considerado cafona. Eu e minha família sempre gostamos. Virou cult há alguns anos e vale a pena ouvir.
Veja o trailler e ouça algumas músicas.

Pin It on Pinterest